O principal método de alimentação do potro órfão é por via oral (mamadeira ou balde).

O uso do balde:

O uso do balde é um método conveniente para a alimentação, pela facilidade do manejo e menor ligação do potro com os humanos, causando menos problemas ligados ao comportamento. Além disso, o proprietário e o potro adquirem maior controle na quantidade e na frequência de alimentação. Inicialmente, muitos potros não se identificam com o balde, pelo fato do recipiente ser escuro no seu interior e, além disso, a alimentação com a cabeça para baixo não é natural, dificultando ainda mais o processo. Portanto, no início deve-se segurar o bico da mamadeira próximo a superfície do leite no interior do balde e, no momento em que encontra o alimento, o potro geralmente se acostuma a alimentar nesta posição. Desta forma, o bico pode ser retirado gradativamente para que o potro beba diretamente do balde. Tal processo pode demorar de dois a três dias, dependendo da reação de cada animal.

O uso da mamadeira:

A utilização de mamadeira é outra alternativa para alimentar o potro. Este método proporciona maior frequência de alimentações ao dia, além de ser o mais semelhante ao natural. Quando se opta pela mamadeira, é recomendado utilizar bico de mamadeira para potros ou cordeiros (os de bezerro geralmente são muito largos) e a higiene deve ser excelente, realizando-se limpeza e esterilização das mamadeiras e bicos entre as alimentações. Durante o fornecimento da mamadeira, o potro deve estar de pé e recomenda-se observar a deglutição do leite, como forma de prevenir a aspiração. É importante garantir que a mamadeira não esteja em posição vertical, para evitar a descida do leite pela traqueia. A mamadeira deve ser mantida em posição natural e os olhos do potro cobertos pelo braço da pessoa que o estiver alimentando. Nos casos em que o potro está muito debilitado, pode-se utilizar a sonda nasogástrica. A alimentação por meio de sonda é uma medida de curto período e deve ser limitada aos casos em que o potro não apresenta ou apresenta pouco reflexo de sucção. A maioria dos potros nesta situação precisa de cuidado intensivo, sendo recomendado iniciar parcialmente a nutrição parenteral.

A quantidade de leite para o potro:

O requerimento total diário do potro pode ser calculado e dividido entre o número de alimentações fornecidas. Maior número de alimentações com menor volume é preferido principalmente nos primeiros dias. O potro jovem possui exigências de energia dietética bastante altas, necessitando para sua taxa de crescimento normal 110 a 130 kcal de energia digestível/kg de peso corporal, o que corresponde a cerca de 3,5 vezes o exigido pelo equino adulto para a manutenção. Ainda, o leite de égua é bastante diluído, proporcionando durante as primeiras semanas de lactação cerca de 500 kcal de energia digestível por litro.

Como resultado, deve-se consumir grande quantidade de leite:

Equivalente a 20 a 25% do peso corporal do potro por dia, sendo que ele deve iniciar ingerindo aproximadamente 10 a 15% do seu peso vivo em leite nos primeiros dias e elevar gradualmente 1 a 2% até atingir os 20 a 25%.

Observação: Dicas muito Importantes.

1-   Preconiza-se alimentar o potro a cada hora nos primeiros dias.

2-   Aumentando para cada duas horas nos dias três a quatro após o nascimento.

3-   No sétimo dia de vida já é possível esperar que o potro consiga passar a noite se alimentando a cada quatro horas.

4-   Em seguida, as alimentações podem ser espaçadas para que, com 2 a 4 semanas de vida, o potro receba seis alimentações por dia, fazendo com que não consuma tanto o tempo do criador e o contato com as pessoas seja diminuído.

Deixe um Comentário